Como reconhecer a epilepsia

As convulsões são um dos principais sintomas da epilepsia, mas você sabia que uma convulsão não necessariamente significa que é epilepsia?

As convulsões são um dos principais sintomas da epilepsia, mas você sabia que uma convulsão não necessariamente significa que é epilepsia 

Existem diversos outros sintomas e outras formas de crises epilépticas que são mais silenciosas e não são tão perceptíveis, sendo mais difíceis para familiares e pacientes de perceberem a doença.  

Para auxiliar nisso, criamos esse artigo para que você saiba como fazer um reconhecimento e identificação da epilepsia. 

O que é a epilepsia? 

Sendo mais comum em crianças, mas também atingindo adolescentes e adultos, a epilepsia acontece após os neurônios emitirem uma descarga elétrica desordenada, podendo acontecer sem nenhum aviso prévio ou com alguns sintomas leves.  

Muitas vezes a frequência com que elas ocorrem podem ser imprevisíveis, tendo até mesmo duração diferentes de cada crise.  

Mas não é preciso ter medo, com o acompanhamento médico adequado e com os medicamentos certos, é possível viver normalmente sem maiores problemas. 

Como identificar seus sintomas? 

Sendo um dos sintomas mais comuns e mais perigosos da epilepsia, a convulsão ou crise tônico-clônica fazem com que a pessoa perca total controle do corpo, tendo movimentos musculares involuntários, perda do controle da urina, confusão mental e outros sintomas involuntários.

Muitas vezes, devido à confusão mental causada, é normal que a pessoa não se lembre do episódio de convulsão, podendo sentir dores de cabeça e náuseas após o episódio. Caso a crise dure mais de cinco minutos, é importante que seja solicitado o auxílio médico.

Existe também a epilepsia parcial, essa que ocorre quando a doença afeta uma parte menor dos neurônios, causando menores sintomas. Ela atinge alguns grupos musculares, podendo causar movimentos involuntários na boca, perna ou outros músculos.

Na epilepsia de ausência, que ocorre de forma mais frequente nas crianças e nos adolescentes, elas acontecem rapidamente (até trinta segundos) sendo caracterizada por pequenos sintomas como: 

  • Se manter estático com olhar fixo; 
  • Membros formigando; 
  • Músculos faciais se movimentando de forma descontrolada. 

Como esses sintomas podem surgir já na infância, é importante que os pais prestem atenção se algum desses casos ocorre diversas vezes ao dia.  

Por não ser grave, com um tratamento com medicamentos isso pode ser controlado, fazendo com que os sintomas desapareçam com o tempo. 

Cuidados nas crises epilépticas 

Sendo algo de dificuldade para muitas pessoas, principalmente pelo choque nos casos graves de epilepsia como as convulsões, muitos não sabem o que fazer no momento que alguém está tendo uma crise.  

Para prestar socorro corretamente, primeiro é importante manter a calma. Após isso, tente evitar que a pessoa tenha uma queda perigosa no chão, acomodando a sua cabeça com cuidado e removendo objetos ao redor que possam machucá-la.  

Mova a cabeça da pessoa de lado, assim evitando que ela se afogue com saliva ou vômito e certifique-se de que ela não está com as roupas apertadas, melhorando a sua respiração.

Após isso, espere que ela volte para a consciência normal e observe o tempo, como mencionamos, caso a crise ocorra por mais de cinco minutos, é extremamente importante que uma ambulância seja solicitada imediatamente.  

Com esses cuidados, é possível garantir que uma pessoa com epilepsia passe pela sua crise com maior segurança, mas é importante que ela mantenha um tratamento médico juntamente com um profissional, garantindo a sua saúde.  

Para mais conteúdos como este, continue acompanhando nosso Blog.  

Referências: 

https://www.tuasaude.com/sintomas-de-epilepsia/ 

https://bvsms.saude.gov.br/epilepsia-6/ 

https://pebmed.com.br/epilepsia-quais-os-tipos-de-crise-e-como-diferencia-las-purple-day/ 

Procure um especialista

Ver mais

';

    Assine nossa newsletter



    oi