Fibromialgia: 10 vantagens de exercícios físicos

A fibromialgia é caracterizada por dores espalhadas pelo corpo, tanto nos membros inferiores quanto superiores.

A fibromialgia é caracterizada por dores espalhadas pelo corpo, tanto nos membros inferiores quanto superiores. Também no tronco, na parte anterior do corpo, posterior e as dores costumam ser em diferentes intensidades e ao mesmo tempo.

Imagine que uma simples dor de cabeça já traz bastante incômodo, o deixando irritado. Agora, imagine essa dor de cabeça espalhada por outras partes do corpo. Esse é um exemplo só para se ter uma ideia de como é a fibromialgia.

Os exercícios físicos fazem parte do tratamento não-medicamentoso na diminuição das dores, e na melhora do quadro de fibromialgia.

Você vai conferir neste artigo, 10 vantagens de exercícios físicos no tratamento contra a fibromialgia. Vamos lá? 

1. Exercício promove analgesia 

Os exercícios físicos diminuem a percepção da dor. Portanto, não importa se você irá fazer um treino de resistência, aeróbico, ou aumento de flexibilidade. Esses exercícios irão levar gradativamente a diminuição da percepção da dor. Mesmo, apesar de ainda ser uma dor mais aguda, de fase inicial.

Isso acontece porque quando se faz exercício, o corpo aumenta a temperatura. Esse aumento de temperatura corporal, é percebido pelo hipotálamo. Uma vez que isso ocorre, o hipotálamo aumenta a liberação de um hormônio chamado endorfina.

A endorfina é um hormônio que age inibindo a percepção das dores corporais. Mas tenha ciência de que, para quem possui fibromialgia, a intensidade e tempo de duração dos exercícios são diferentes e precisam ser melhor trabalhadas, dentro das possibilidades do indivíduo. 

2. Um programa de exercício a médio prazo torna a inibição da percepção da dor duradoura 

Em médio a longo prazo, essa percepção da diminuição da dor, não será apenas durante a sessão e momentos após a mesma. Mas ela pode gradativamente ir ficando um pouco mais crônica, ou seja, duradoura entre as sessões de exercícios. O que é um fator também muito importante. 

3. Diminuição da percepção de fadiga crônica 

Quando o fibromiálgico sente dor, e infelizmente, essas dores ocorrem na maior parte do dia, ele tende a ficar mais quieto, sentado, deitado, como uma forma de aliviar a dor. No entanto, isso aumenta a síndrome da fadiga.

A síndrome da fadiga, como o nome já diz, é o cansaço que o fibromiálgico sente devido às dores. Porém, apesar do cansaço, o fibromiálgico que se dispõe a fazer exercício, em médio prazo diminui essa percepção de fadiga crônica. 

 

4. Melhora na qualidade do sono 

Em médio prazo, os exercícios melhoram a qualidade do sono. Que é uma variável que na maioria dos fibromiálgicos é alterada devido aos quadros de dores.

A prática regular dos exercícios melhora a ação dos neurotransmissores. Isso resulta em um sono mais duradouro, profundo, com maior qualidade e reparador. 

 

5. Aumento da capacidade aeróbica 

Um programa de exercícios em médio prazo, aumenta a capacidade aeróbica. Uma vez que o fibromiálgico tem grandes períodos sedentários ao longo do dia e da vida, isso acaba diminuindo sua capacidade quanto à potência aeróbica. Isso pode ser conseguido com treinos aeróbicos, ou só com treinos resistidos ou com treinos combinados.

Sendo assim, um programa de exercício, com o tempo, aumenta tanto a capacidade, quanto a potência aeróbica. 

6. Aumento da força e potência muscular 

O treino resistido é muito importante para o fibromiálgico porque o aumento da força muscular tem relação inversa com dores musculares. Portanto, aumentar a força é essencial.

E aumentando a força e potência muscular, principalmente de membros inferiores, também permite um treino aeróbico com maior qualidade, com volumes e intensidade maiores. E apesar, da intensidade, sem sentir dores corporais. 

7. Aumento da amplitude de movimento 

Há um aumento da amplitude de movimento, principalmente pelo treino de flexibilidade. Isso é importante porque quando se sente dor, você quer ficar quieto, deitado. E quando se está quieto, não existe estímulo neuromuscular além do tônus basal neuromuscular.

Sendo assim, é natural que haja encurtamento muscular, e isso acelera quadros de lombalgia, dores e regiões articulares específicas. E isso piora o quadro. Então, quando se melhora a força associada a amplitude do movimento, isso ajuda o indivíduo a sentir menos dor. 

8. Aumenta os indicadores de saúde, qualidade de vida e longevidade 

Em médio a longo prazo, os exercícios físicos aumentam os indicadores de saúde e qualidade de vida. O fibromiálgico que se dispõe a fazer exercícios físicos, vive melhor, com mais saúde, tendo maior disposição e alegria. E o resultado disso é o aumento de vida dele aqui nesse mundo.

De acordo com estudos americanos, pessoas que fazem exercícios físicos têm sua satisfação com a vida garantida, logo no primeiro dia que se dispõe à prática. 

9. Proteção cardiovascular e metabólico 

Os exercícios físicos protegem o sistema cardiovascular e metabólico, muito importante no indivíduo que tem fibromialgia. Fibromiálgicos mas fazem exercícios regulares em comparação aos que não fazem exercícios, tem 42% menor risco de mortalidade por doenças cardiovasculares.

E, em relação às doenças metabólicas, a diferença é de 40% menor risco de mortalidade, em fibromiálgicos que praticam exercícios. 

10. Os sintomas da depressão diminuem 

O fibromiálgico sofre muito com as dores crônicas. E certamente esse desconforto diário, torna a vida mais penosa, o que acaba muitas vezes ocasionando a depressão.

Com a prática regular de exercícios, esses sintomas de depressão tendem a diminuir, por causa da carga de neurotransmissores que é liberada durante a prática dos exercícios físicos. 

Conclusão 

Por fim, os exercícios físicos são uma parte do tratamento muito importante para o fibromiálgico. Ter um acompanhamento médico é fundamental para que o tratamento tenha êxito.

Infelizmente, por se tratar de uma doença crônica, muitos portadores acabam deixando de lado a busca de um tratamento, o que obviamente, piora o quadro de sofrimento do indivíduo tanto físico como psicológico.

Embora a fibromialgia não seja uma doença que tenha ação inflamatória ou que apresenta graves lesões, nós sabemos que a dor é verdadeira. No entanto, só tomar medicamentos não é o bastante. 

O tratamento da fibromialgia requer disciplina e constância. Sendo assim, o portador de fibromialgia, deve praticar exercícios gradualmente e regularmente. 

Esperamos que esse conteúdo tenha ajudado a perceber o quanto é importante a prática dos exercícios físicos, sobretudo para o portador de fibromialgia. Inscreva-se em nosso blog para conteúdos relevantes sobre saúde. 

Voltar

Ver mais

    Assine nossa newsletter



    oi