FIBROSE PULMONAR IDIOPÁTICA: ENTENDA O QUE É E COMO É REALIZADO O DIAGNÓSTICO

Considerada uma doença rara que pode causar cicatrizes no pulmão dificultando a respiração

Considerada uma doença rara que pode causar cicatrizes no pulmão dificultando a respiração, a fibrose pulmonar idiopática possui tratamentos que permitem lidar com o problema, mas são necessários cuidados.

O que é a Fibrose Pulmonar Idiopática

A fibrose pulmonar idiopática se caracteriza pelo surgimento de fibroses no pulmão. As fibroses são formações de tecido conjuntivo, como parte de um processo de cicatrização, em um determinado órgão ou tecido. No caso da fibrose pulmonar idiopática, os tecidos do pulmão ficam rígidos, perdendo a elasticidade e dificultando as capacidades respiratórias. Com isso, ocorre uma deficiência respiratório gradativa, que irá piorar ao passar do tempo. O seu tratamento com medicamentos como os antifibrióticos não leva a cura, mas torna o processo mais lento.

Causas e sintomas

Sendo mais comum em homens, a doença pode ocorrer em fumantes e pessoas expostas a poeiras e substâncias orgânicas. Ao realizarem o contato com estes agentes infecciosos, a incidência da fibrose pulmonar idiopática aumenta, porém, se reforça que ela se chama idiopática justamente por não possuir causas estabelecidas, possuindo pequenas chances de poder ser causada até geneticamente. Seus sintomas são:

· Tosse seca;

· Falta de ar;

· Fadiga com pequenos esforços;

· Falta de apetite;

· Perda de peso;

· Refluxo gastroesofágico;

· Baqueteamento digital, que se caracteriza com uma deformação pequena na ponta dos dedos.

É recomendado que homens acima dos 50 anos prestem atenção nestes sintomas e caso apresentem mais de dois dos citados busquem ajuda médica para que o problema seja diagnosticado e tratado o mais rápido possível, tornando possível a convivência com a doença.

Como é realizado o diagnóstico:

O diagnóstico pode ser difícil, pois as causas da doença estão presentes em diversas outras doenças, o que dificulta na identificação do problema real. É necessário realizar uma consulta com um pneumologista que irá recomendar a realização de tomografia computadorizada e dará uma visão de 360° do pulmão; exames de sangue para identificar se existem a presença de vírus ou bactérias que causam os mesmos sintomas e a biópsia do tecido pulmonar para que se verifique a existência de fibroses. É considerado também o histórico do paciente, utilizando a biópsia nos casos em que não se foi possível diagnosticar a doença exata após a tomografia e os exames. A biópsia consiste em retirar um pequeno fragmento do pulmão para realizar o estudo através de microscópios. Como maneira de prevenção mais adequada, recomenda-se interromper hábitos de fumo, visto que a maioria dos casos está associado com o uso de cigarros, e a manutenção de um estilo de vida saudável.

Tratamento:

Após se confirmar a doença, além da prática de exercícios e de uma alimentação balanceada para melhorar o sistema imunológico, podem ser feitos um dos tipos de tratamento ou a combinação dos seguintes tratamentos:

 

· Reabilitação pulmonar para melhorar a capacidade de realizar tarefas de rotina;

· Uso de medicamentos como os antifibróticos, antioxidantes e imunossupressores que atuam na imunidade e auxiliam na melhora da função pulmonar e na prevenção de infecções;

· Oxigenioterapia nas situações em que o nível de oxigênio está baixo.

 

Conclusão:

A fibrose pulmonar idiopática de fato não apresenta uma cura, mas quando tratada se permite a convivência com a doença nos seus estágios iniciais, por isto é importante buscar o atendimento médico de prontidão no início do aparecimento dos sintomas. O diagnóstico precoce dessa condição é muito importante, portanto, procure um especialista ao apresentar qualquer um dos sintomas

Procure um especialista

Ver mais

';

    Assine nossa newsletter



    oi