MAIS SOBRE A OSTEOPOROSE

A estrutura do nosso esqueleto vive em constante renovação. Mas é quando isso não ocorre? Trata-se da osteoporose

A estrutura do nosso esqueleto vive em constante renovação. Mas é quando isso não ocorre? Trata-se da osteoporose, uma doença que pode atingir todos os ossos do corpo, fazendo com que fiquem fracos e com possibilidade de quebrarem aos mínimos esforços.

img-osteo

Os principais tipos de Osteoporose

Osteoporose pós-menopausa: como o nome diz, a condição atinge mulheres após a menopausa, podendo ocorrer, inclusive, fraturas na coluna.

Osteoporose senil: atinge pessoas com mais de 70 anos. Podem acarretar fraturas tanto na coluna quanto no quadril.

Osteoporose secundária: atinge pessoas com doença renal hepática, endócrina, hematológica ou que usam alguns medicamentos, por exemplo, corticoides.

Fatores de risco

Há um conjunto de fatores que influenciam e favorecem o desenvolvimento da osteoporose:

Menopausa 

Com a interrupção da menstruação, ocorre diminuição dos níveis de estrógeno (hormônio feminino), que é fundamental para manter a massa óssea.

Envelhecimento

Já que a perda de massa óssea aumenta com a idade.

Hereditariedade

A osteoporose é mais frequente em pessoas com antecedentes familiares da doença.

Dieta pobre em cálcio

O cálcio é fundamental na formação óssea. Sua obtenção a partir da alimentação é imprescindível para prevenir a osteoporose.

Excesso de fumo e álcool

Tem-se observado maior incidência de osteoporose entre as pessoas que consomem álcool e fumo em excesso.

Imobilização prolongada

O exercício físico constitui um importante estímulo para a formação e o fortalecimento dos ossos. Grandes períodos de imobilização e a falta de exercícios podem levar à Osteoporose.

Medicamentos

Alguns medicamentos, como os corticoides, em tratamentos de longa duração, favorecem a redução da massa.

Pode-se suspeitar ou prever a Osteoporose?

Sim! Desde que o paciente se enquadre nas seguintes circunstâncias:

– Pessoas com mais de 60 anos

– Mulheres pós-menopausa

– Com antecedentes familiares

– Dieta pobre em cálcio

– Fumantes e consumidores de álcool

– Pessoas sedentárias

– Em tratamento prolongado com corticóides

Lembrando que a osteoporose nem sempre manifesta sintomas. Muitas vezes, o primeiro indício surge de um dor consequente de fratura, que pode ocorrer espontaneamente, principalmente em coluna, quadril e punho. O osso fica tão fraco que pode haver achatamento da vértebra, encurvamento da coluna (“corcunda”) e diminuição da altura.

Diagnóstico e tratamento

O exame mais adequado para o diagnóstico da osteoporose é a densitometria óssea, que permite avaliar o estágio da doença e serve como método de acompanhamento do tratamento. É um exame indolor que mede a massa óssea na coluna e no fêmur.

Já tratamento é feito por meio da suplementação com cálcio e tratamento medicamentoso que deve ser indicado e prescrito pelo médico.

 

Referências

COMISSÃO DE DOENÇAS OSTEOMETABÓLICAS E OSTEOPOROSE DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE REUMATOLOGIA. Osteoporose – Cartilha para pacientes. São Paulo, 2011, 28 p.

Voltar

Ver mais

    Assine nossa newsletter



    oi